Pós-Parto

Visitas à Maternidade, não obrigada!!

 

Dos tempos de internamento, lembro-me de entrar nos quartos e encontrar mães com poucas horas pós-parto, na maioria das vezes doridas, cansadas, inseguras com o seu novo papel de mãe, e às voltas com a amamentação, que afinal não está a ser tão fácil como tinham pintado! A juntar a este cenário lembro-me de quartos cheios de visitas (Família, amigos e lamentavelmente por vezes até conhecidos)

Por onde anda o bom senso?

Recentemente ao substituir uma colega fui “matar” saudades ao internamento de obstetrícia. E como é meu habito, lá fui eu, entrando de quarto em quarto para me apresentar e conhecer as mães que iam estar sob os meus cuidados naquela tarde. Ao entrar no 3º quarto deparei-me com uma família inteira e devia de ser, mesmo, a família toda (pois eram muitos), em cima da cama da Puérpera. O objectivo era fazer uma foto com o famoso pau da Selfie. No meio estava a recém-mãe, com o bebé nos braços, tentando sacar um sorriso das suas entranhas, um sorriso que se negava a sair. Já tinham saído bastantes coisas do seu corpo, nas últimas horas…

Ajuda, foi o pedido que vi nos olhos daquela jovem mãe! De repente senti que entrei naquele quarto para a salvar!

 

É habitual, aconselhar nas minhas aulas, o casal, para que combinem previamente, quem vão avisar que o bebé nasceu. Há duas hipóteses, ou avisam apenas aquelas pessoas que são muito importantes (pais, irmãos e avós). Pessoas a quem a qualquer hora se pode pedir, para saírem e deixarem a mãe e o bebé sozinhos.

Ou avisam todas as pessoas da lista telefónica do casal, mas são bem claros, enviem uma mensagem que informe que o bebé nasceu e que agradecem visitas só a partir do dia X.

 

Claro que o nascimento é um momento de alegria para a Família e para os amigos! Melhor ainda é encontrar no quarto da recém-mãe o amigo que já não via há quase dois anos. E porque não colocar a conversa em dia? PORQUE NÃO!!! Porque esta recém-mãe quer é que lhe tirem as dores, que o seu bebé pegue de uma vez por todas no mamilo sem a sensação que o vai arrancar. Quer tomar um duche, sem o risco de alguém entrar pelo quarto a dentro e dizer – Surpresa!!!

 

Já tiveram filhos? Provavelmente revêm-se nestas histórias e percebem lindamente o que digo.

Se não tiveram, vou tentar explicar com as palavras da mãe que salvei da #selfie. Palavras que saíram entre soluços:

– Parir dói (nem imagino se tivesse sido cesariana)! Já não durmo há duas noites, estou cansada! Disseram-me que é importante adaptar o bebé à mama nas primeiras horas, mas se tenho meia dúzia de pessoas a olhar para mim, não consigo concentrar-me e não me sinto confortável em me expor desta maneira! Será que a “malta” não se dá conta, esta camisa é horrível, estou praticamente despida! Não paro de suar, não paro de sangrar… não quero que vejam os restos do meu parto na minha cama…

Meu Deus, só me apetece chorar. Aliás, apetece-me gritar, amiga, tia, prima, vizinha, gosto muito de vocês, mas agora não é o momento, para falarmos sobre a vossa próxima viagem, nem para ouvir conselhos de “experts” em bebés! Agora NÃO!

 

Se este texto já vos chega tarde, e já fizeram a visita da “praxe” espero que:

– Tenham colocado o telefone no modo silencio, o ideal era terem desligado, para não correrem o risco de atender alguma chamada em plena visita

– Não tenham levado crianças (pior ainda … doentes)

– A visita tenha sido curta, não mais do que 15m

– Tenham saído do quarto, com as restantes visitas, quando entraram médicos ou enfermeiros. É o que se chama: Respeito!

– Não tenham tirado fotos ao bebé ou à mãe sem consentimento, muito menos publicá-las em qualquer rede social

– Tenham lavado as mãos antes de entrar, mesmo que não tenham tido contacto com o bebé

– Não tenham insistido para pegar no bebé o colo.

– Não tenham feito comentários sobre a má cara que a recém-mãe tem ou a palidez ou pior ainda sobre o tamanho da sua barriga

– Para além de tudo, não façam julgamentos sobre a opção que a jovem mãe tomou em amamentar ou não o bebé. Frases do tipo: – “Acho que o bebé está com fome” ou -“provavelmente é o teu leite que é fraco” , são desnecessárias!

 

 

Continua …

… Em breve: Visitas a casa de um Recém-nascido, não Obrigada!

One Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *