Pós-Parto

Visitas a casa de um Recém-nascido, não Obrigada!

Ler primeiro: Visitas à maternidade, não obrigada!

Por fim, mãe e bebé têm alta e vão para casa. A Jovem mãe imaginou que iria ter à sua espera uma casa imaculadamente limpa e arrumada com flores e balões, mas não é o que encontra! O jovem pai de manhã teve de se levantar e sair a correr, não houve tempo nem para fazer a cama, nem para arrumar a loiça do pequeno almoço. Tinha uma lista infindável de tarefas para cumprir e às 11h tinha de estar no hospital para estar presente no momento da Alta.

Não foi o que as “hormonas” planearam, mas o que importa é que estão em casa. Finalmente em casa!!!!

Tiram o bebé da cadeirinha e ele acorda, de boca aberta procura as mamas da mãe, que já lhe parecem estar cheias. A mãe senta-se no cadeirão e os pontos lembram-lhe que já não toma analgésico a algumas horas. Pensa: “Que bom que era ter uma campainha para chamar a Enfermeira e pedir-lhe algo para as dores”. “ CAMPAINHA?” Será que já está a alucinar ou ouviu mesmo uma campainha?

Ding – Dong!!!! – É mesmo a campainha!

Não pode ser! Depois da experiência desastrosa, na Maternidade, onde recebeu mais visitas  do que a princesa Kate, a jovem mãe pensa mesmo, que está a alucinar!

“Querida estás vestida?” Pergunta o jovem pai, com um timbre de voz de quem anuncia um drama.

Antes mesmo de responder, a porta abre-se e aparecem os seus sogros e cunhados. Sim, é verdade! Estão mesmo em frente às suas mamas, que parece que nunca estiveram tão grandes e tão expostas. Aproximam-se cada vez mais para verem melhor a bebé!

“- Olá! Como estás? Estás um bocadinho pálida! Olha… largou a mama! Já não dever querer mais, quer é vir ao colinho da avó! Vá, dá-me o cá!”

Agora é que a jovem mãe deve estar pálida!!! Tão pálida, que até o pai achou que era melhor intervir antes que ela ficasse VERDE!

– Se calhar é melhor irmos todos até à sala e deixar a Maria acabar de comer tranquilamente, com a mãe!”

A Sogra ia dizer qualquer coisa, mas o pai foi a tempo de fechar a porta e abafar o comentário. Mas era qualquer coisa como:

“- Então não sei bem como é? Não vos criei!”

Passados 20 minutos, a jovem mãe, perdeu a esperança e percebeu que não há nada a fazer, eles continuam na sala. Decide sair do quarto e no trajecto para a sala, respira fundo e repete vezes sem conta vai correr tudo bem, são só mais uns minutos!

Pois bem, quando entra na sala, percebeu logo que não iam ser mais uns minutinhos! Estava a dar o Sporting na TV. O Pai do bebé está sentado, mas ainda ninguém reparou que o cansaço falou mais alto e está a dormir. O Sogro e o cunhado estão furiosos, mais uma vez o seu Clube do peito está a perder! A sogra e a cunhada, rasgam um sorriso ao vê-la. A cunhada, que ainda não foi mãe, diz:

“- Pensei que ias perder mais peso!”

O pai do bebé, é acordado pelo pai e cunhado, que lhe perguntam:

“- Então, não se arranja uma cervejinha?”

Foi nesse momento que mãe e bebé desapareceram! As lágrimas correm à mesma velocidade que a jovem mãe vai para o quarto. O Pai sabia que tinha de fazer algo! Mas o quê? Convidar os seus pais a sair? Sim! Não havia outra alternativa! Delicadamente verbalizou que o ideal era irem ver o jogo para casa, explicou:

“- Estamos ambos cansados, temos de nos adaptar ao bebé e aos seus horários. Por favor, para a próxima, liguem primeiro! Vai ser mais fácil recebermos-vos se for a altura certa.”

Esta história é o relato de uma mãe que me procurou com dúvidas na amamentação, lamentavelmente não a conheci antes do bebé nascer. Se tivesse frequentado as minhas aulas teria sido avisada para este tipo de cenários. Um dos conselhos que habitualmente dou ao casal grávido é que preparem a família previamente. Que aproveitem um almoço ou jantar de família e deixem já delineado os procedimentos que esperam da família, depois do bebé nascer.

As regras básicas para visitar um Recém-nascido em casa são:

  • Nunca vão, sem serem convidados! Nos primeiros dias as visitas devem ser curtas e opiniões sobre o bebé ou comentários sobre a aparência da mãe devem ser evitados.
  • Se está doente e basta ser uma “constipaçãozinha”, NUNCA visite o bebé, mesmo que não se aproxime dele.
  • Não vá com filhos pequenos, visitar um bebé.
  • Não fique à espera que lhe peçam para lavar ou passar por desinfectante as mãos, faça-o como uma regra de higiene
  • Mesmo sabendo que os pais do bebé são fumadores, nunca fume em casa do bebé, nem mesmo à janela
  • Não ofereça flores naturais (não só pelo odor, mas porque nunca sabemos quando um ou outro bicharoco vai visitar, também o bebé)
  • Reforço ainda que em primeiro lugar está o bem-estar da mãe e do bebé, os jovens-pais:
    – Não devem ter vergonha de pedir para não terem visitas.
    – Nunca devem oferecer comida ou bebidas às visitas, a não ser que queiram que estas fiquem um par de horas
    – Devem aproveitar a existência de grupos como o whatsapp, viber, facebook … e irem mantendo a família e os amigos informados até estarem preparados para as visitas:

“Olá! Olá! Hoje a noite foi desastrosa, quase não dormimos até às 5h, mas depois embalamos os 3 no sono e só acordámos às 9h30. Agora estão mãe e filha a dormir e eu a dar-vos notícias J Em breve, combinamos o dia ideal para nos virem visitar. Obrigado, é para nós importante saber que vos temos ai desse lado. Beijinhos “

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *