Familia,  Pós-Parto

Viajar de avião com bebés e crianças

Viajar de avião, não traz riscos para crianças saudáveis, sendo seguro viajar de avião, logo no primeiro mês de vida. No entanto, não é recomendado a crianças com menos de 7 dias (idealmente até aos 15 dias) e a lactentes de pré-termo (idade gestacional < 37 semanas).

Consultar o médico assistente é sempre obrigatório antes de viajar, de forma a assegurar que a criança se encontra preparada para realizar a viagem, especialmente se se tratar de um recém-nascido prematuro. Informe o Pediatra do destino e esclareça dúvidas relativas à necessidade de vacinas ou outros cuidados adicionais. Deve também obter o máximo de informações sobre o destino, nomeadamente a temperatura local, a assistência médica e as farmácias existentes.

Conselho para andar de avião:

– Leve consigo uma minifarmácia (atenção às regras de bagagem de mão) e uma mala de mão com algumas roupinhas, fraldas e brinquedos e obrigatório os documentos do bebé, livro do bebé e boletim de vacinas

– Crianças mais velhas: optar por voos nocturnos, sem escalas ou ligações.

– Reservar um berço ou uma cadeira especial para crianças com peso até 10 quilos (também pode levar a bordo uma cadeira para o bebé ou o dispositivo de segurança para crianças utilizado nos automóveis).

– Assegure-se que o avião tem bancada para troca de fraldas, refeições especiais e entretenimento a bordo.

Como reagir perante os problemas que podem surgir durante a viagem?

Dor e sensação de “ouvidos tapados” – Este sintoma é o mais comum e para evitá-lo deverá:

  • Oferecer alimentos ou líquidos, que estimulem a deglutição/mastigação
  • Bebés: amamentar nas descolagens e aterragens, ou dar água em biberão;
  • Crianças: dar a chupeta, água, sumos de fruta.
  • Bocejar e expiração forçada com nariz e boca fechados (manobra de Valsalva)
  • Usar protector auricular;
  • Evitar viajar se a criança apresentar infecções no ouvido, nas fossas nasais ou nos seios perinasais, uma vez que existe o risco de agravamento da lesão;
  • Aplicação de um descongestionante nasal (1 a 2 horas antes da descolagem e 30 minutos depois da descida).

Desidratação
Bebés e crianças de tenra idade são mais suscetíveis à desidratação, pelo que se recomenda a ingestão abundante de líquidos antes e durante o voo. Em voos de longa duração, reforce e incentive o consumo de uma dose suplementar de líquidos

 

Enjoo

Na consulta com o Pediatra, deverá questionar, qual o medicamento em S.O.S., que o seu bebé ou criança poderá tomar nestes casos.
Solicite lugares na zona da asa do avião e/ou à janela, mantenha sempre acessível o saco de enjoo e assegure a toma profilática do medicamento prescrito pelo Pediatra.

 

“Jet lag”
A alteração dos padrões de sono, e de outros biorritmos circadianos, devido à passagem por vários fusos horários num curto espaço de tempo, pode provocar efeitos adversos, como a desidratação, fadiga, stress, indigestão, mal-estar, insónia, diminuição do desempenho físico e intelectual. Esteja atento a estes sintomas e tente reduzi-los, com algumas medidas:

  • Descansar bem antes da partida e o máximo possível durante o voo;
  • Beber muitos líquidos antes e durante o voo;
  • Comer refeições ligeiras;
  • Adaptação ao horário do destino o mais rapidamente possível (hora das refeições, sono);
  • Após a chegada, garantir a exposição à luz natural do Sol;
  • Aconselhamento médico antes da viagem;
  • Se a criança estiver a tomar medicação com horários fixos (como, por exemplo, insulina), deve procurar aconselhamento médico antes de partir.

Contra-indicações para viajar de avião:

  • Recém-nascido com idade inferior a 7 dias – idealmente só deve fazê-lo a partir dos 15 dias de vida;
  • Doença contagiosa aguda grave;
  • Aumento da pressão intracraniana por hemorragia, traumatismo ou infecção;
  • Sinusite, otite ou rinite infecciosa, particularmente com obstrução da trompa de Eustáquio;
  • Doença respiratória crónica grave, dispneia em repouso ou pneumotórax não curado.
  • Drepanocitose (anemia falciforme);

Cirurgia ou traumatismo recentes, com eventual presença de ar ou gás (traumatismo abdominal, cirurgia gastrointestinal, lesões craniofaciais e oculares, neurocirurgias encefálicas ou cirurgias oftalmológicas)

Não se esqueça, é  extremamente importante realizar uma consulta com o Pediatra antes de marcar a viajem, e pedir aconselhamento sobre a viagem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *