Blog,  Desporto,  Entrevistas,  Gravidez

Uma Treinadora de barriga Cheia

Conheci a Mara, recentemente no jogo de Futebol Feminino entre o Valadares e o Clube Futebol Benfica. Um jogo para a Taça de Portugal importante, que decidi ir fotografar, mas assim do nada, a minha maquina meteu folga e deixou de funcionar! Fui para as bancadas assistir ao jogo, meia triste, porque eu gosto mesmo, é de fotografar.

O jogo começa e passado alguns minutos, a treinadora do Valadares sai do banco para dar indicações às jogadoras com o sotaque típico do norte, e para o meu espanto, GRÁVIDA! Uma Barriga LINDA!
Sabem como eu sou, adoro grávidas e bebés. Posso dizer-vos que naqueles 90 minutos, a minha atenção foi toda para a Mara.

Contactei-a para a conhecer melhor e partilhar convosco, o seu trajecto no mundo do futebol e claro saber se a gravidez alterou a sua rotina!

Mara Vieira, tem 36 anos, tal como tantas outras meninas, em criança, jogava futebol na rua, com os rapazes. Foi por volta dos 12 anos que começou a jogar Futsal, numa equipa de Desporto escolar. Tentou o futebol 11, mas na altura o clube não a recebeu bem, treinava à parte e quase que não lhe dirigiam a palavra! Voltou para o Futsal, onde permaneceu até ao fim da sua carreira como Futebolista. Mara confessou-me que:

“Entre clube, seleções distritais e seleção nacional tive um a carreira bastante feliz. Tive a felicidade de estar em algumas das melhores equipas nacionais, com as melhores jogadoras dessa época, ganhar títulos…Participar em competições nacionais e internacionais…”

A par com o Futsal, Mara nunca deixou de estudar e Licenciou-se em Desporto e Educação Física, na Faculdade de Ciências do Desporto na Universidade do Porto. Complementou a sua formação com o curso em psicologia e neurociência Cognitiva, em Barcelona, no Instituto de Neurociências da universidade Autónoma de Barcelona. Em 2016 completa a Licença UEFA B.

Por volta dos 29 anos, na época onde participou no 1º Torneio Mundial de Futsal feminino, com a selecção feminina, Mara decidiu por um ponto final na sua carreira de Futebolista.
A dificuldade em conciliar o trabalho de professora de Educação física, e de treinadora do FC Porto, com os treinos e os jogos, já começava a ser visível. Mas pela primeira vez em toda a carreira, passou por graves incompatibilidades com o treinador do momento e decidiu abandonar o futsal de vez.

Mara Vieira, nem sempre treinou equipas femininas, começou com equipas masculinas no futsal no MODICUS –Sandim aos 21 anos. Aí permaneceu entre os escalões de infantis, iniciados e juvenis masculinos.

Perguntei-lhe como tinha sido recebida pelos jogadores e pelos pais das equipas Masculinas, Mara respondeu:

“Quanto aos pais tive inicialmente alguns problemas porque não estavam habituados a que os seus filhos fossem orientados por uma treinadora. Quanto aos atletas não havia qualquer problema. As crianças não tem este tipo de preconceitos. E quando passam para adolescência tudo é normal. Se tiverem uma treinadora que lhes permita uma boa experiência, não há qualquer problema.”

Entre 2007 e 2012, foi treinar para o Clube Futebol do Porto equipas Masculinas, também aqui Mara diz que não sentiu qualquer dificuldade por o “Mister” ser uma mulher!

No Futebol Feminino, Mara, já passou pelo Feirense, S.C Fiães, acompanhou o início da formação de futebol feminino do Valadares Gaia FC. Actualmente é Seleccionadora Feminina das Sub 14 e Sub 17 da Associação de Futebol do Porto e desde Janeiro  que acumula a função de Treinadora da equipa feminina do Valadares Gaia FC, que ocupa o 7º lugar da Liga BPI e está a lutar para ir à final da Taça de Portugal!

Acumula também, uma gravidez de 33 semanas. que segundo a Mara, não a obrigou a alterar nada, até agora, na sua rotina de treinadora. Perguntei-lhe, como é treinar grávida? E esta foi a resposta:

“É igual mas ao mesmo tempo diferente. É igual pelas funções que tenho que desempenhar e do modo como o faço. Não mudei nada até ao momento. E é diferente porque vou sentindo o corpo a alterar-se levando-me a estar mais atenta. No entanto, essa diferença não é apenas a treinar, mas no dia-a-dia.”

Para já, Mara não sente necessidade em parar a sua actividade, a gravidez evolui bem e não tem nenhuma restrição.
Curiosamente o Nicolau, não fica mais agitado, quando a mãe está em campo a dar indicações.

“Apenas sinto que fica mais agitado quando está com fome e depois de comer (risos)”

 

Falei com a Mara sobre a polémica jogadora de futebol do Orlando Pride,  a Sydney Dwyer, que está grávida de 27 semanas e continua a treinar. Perguntei-lhe qual a sua opinião e se a Mara ainda jogasse Futsal se também continuaria a treinar:

“Sim tive conhecimento. Como jogadora o seu corpo está plenamente adaptado ao esforço que o futebol solicita  e por isso sente-se bem e não há problemas para o bebé. Com o decorrer vai gerindo a situação como achar melhor, até ao dia que terá que abrandar. A verdade é que se pode treinar sem qualquer problema desde que se tenha um passado desportivo e não seja uma gravidez de risco. No meu caso, e como curiosidade, fiz o último jogo de futsal com uns amigos tinha 4 meses de gravidez e não senti qualquer problema. A não ser o cansaço e o tempo de recuperação que é muito maior. Agora continuo a treinar no ginásio e até ao momento não sinto qualquer problema, até porque também sou personal trainer com formação na área do treino para grávidas.”  

Fiquei feliz com esta resposta, pois vai de encontro ao que sempre defendi!  Desde que a gravidez decorra dentro da normalidade, não existe nenhuma razão para a grávida deixar de fazer a actividade física, a que está habituada!
O erro é quando a mulher que nunca fez exercício físico, descobre que está grávida, e como não quer engordar, começa a fazer exercício, sem o acompanhamento adequado.

Não quis terminar, sem fazer a pergunta, que já meio mundo deve ter feito à Mara. Gostava que o Nicolau fosse Futebolista?

“Para já espero que nasça saudável, que tenha uma vida feliz e que seja uma boa pessoa.”

Eu também espero que a gravidez da Mara chegue ao termo, com a serenidade que a acompanhou até agora, e que o Nicolau chegue cheio de saúde e que traga muita alegria ao Casal!

 

Fotografias de Ricardo Júnior/Cofina

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *