Blog,  Desporto,  Entrevistas

Naide Gomes

A 20 de Novembro de 1979, nasceu Enezenaide do Rosário da Vera Cruz Gomes, em são Tomé! Não sabem quem é? Sabem sim, é a Atleta Náide Gomes!

A Náide fez a preparação para a maternidade comigo na altura do nascimento do primeiro filho, o Mateus. Sempre acompanhei o seu trajecto como atleta, mas foi nesta altura que a conheci melhor.
Entretanto já foi mãe pela 2ª vez de mais um menino chamado Miguel.

Fotografia de Pedro Simões – Jornal Record

Posso dizer que foram algumas conversas que tivemos que me deram inspiração para correr, na altura estava a começar e corria pequenas distâncias que até tinha vergonha em partilhar, mas a Naide, na sua simplicidade sempre me elogiava como se fosse meia-maratona!

Há pouco tempo, trocámos mensagens com algumas perguntas, para que conseguisse fazer este artigo.

Náide veio para Portugal com 11 anos de idade e começou a praticar Atletismo depois ter saltado 1,50m em altura, num torneio escolar. Foi o melhor salto entre as raparigas e rapazes que participaram. O professor da altura, ficou impressionado e aconselhou-a logo a dedicar-se ao desporto.

Passou pelos clubes do Clamo, Ginásio Sul, Belenenses e JOMA, até ingressar no Sporting Clube de Portugal no final do ano de 1997. Aos 18 anos de idade já era uma atleta muito prometedora, e passou então a ser treinada pelo Professor Abreu Matos.

Fotografia Comité Olimpico de Portugal

Em 2012 Naide já tinha conquistado 5 medalhas de Ouro e 8 de Prata, estava seleccionada para os jogos Olímpicos de Londres em 2012, mas em Maio lesionou-se com gravidade, sofrendo uma ruptura do tendão de Aquiles ao realizar o 4º ensaio no concurso do salto em comprimento do Campeonato Nacional de Clubes, que por ironia do destino acabaria por vencer com a marca de 6,28m. É nesta altura que Náide decide colocar um ponto final na carreira.

 “Após 3 operações que não resultaram descobri que estava grávida, resolvi colocar um ponto final na minha longa carreira. Aos 35 anos terminei!”

Refere que as lesões foram as situações mais difíceis que teve de superar ao longo da carreira. Aqui a família teve um papel importantíssimo:

“Foram sem dúvida o meu porto seguro. A minha família esteve sempre presente quer nos momentos maus quer nos bons momentos. Tudo o que alcancei foi muito pelo apoio da minha família.”

Embora a maternidade tenha sido maravilhosa, e lhe ocupe grande parte do tempo, não preencheu totalmente a falta da competição, Náide confessa que:

 “Falta-me a adrenalina, ter um objectivo a cada Ano, e desafios. Mas sou Feliz com a minha nova vida”.

O Mateus e o Miguel vieram trazer uma nova rotina à vida da Naide. Lembro-me do Mateus ser um menino muito activo e cheio de força. Ainda não tinha 10 meses e já andava! O Miguel segundo a Naide não é diferente, começou a andar aos 11 meses e imita o irmão nas brincadeiras. São crianças cheias de força, energia, e irrequietos que passam grande parte do tempo a brincar.

Perguntei-lhe se gostava que os filhos lhe seguissem as pisadas:

“Gostaria que eles fizessem desporto independentemente do desporto que escolherem. Sinceramente não gostaria que escolhessem o meu desporto, pois por mais Medalhas que ganhes não te dão a importância que mereces.”

Formou-se em Fisioterapia na Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa, no seu dia-a-dia de fisioterapeuta acaba por tirar partido da sua experiência de ex- atleta.
Náide já esteve do “outro lado da Barricada” e por isso entende muito bem o sofrimento do Atleta e a ansiedade de recuperar rápido para voltar o quanto antes à competição.  Admite ser mais cuidadosa, agora cabe-lhe fazer o papel de “advogado do diabo” e impedir que o atleta volte a treinar sem estar preparado e acabe por agravar a lesão.

Náide é uma mulher realizada, mas como desafiadora que é, e irrequieta tal como os filhos (risos), gosta de desafios. Tem objectivos que quer alcançar:

“Quero crescer mais na minha profissão, ainda há muito a aprender, a investigar e formações a fazer. Quero ver os meus filhos a crescerem com saúde, rodeada pelo meu marido e família. Tenho ainda muitos sonhos a conquistar, dar a volta o mundo, por exemplo! Ainda tenho muitos sonhos (…)

Obrigada Náide por partilhares comigo a tua história e desejo que consigas alcançar todos os sonhos, que ainda estão por conquistar!

Fotografias fornecidas pela atleta (facebook)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *