Bebés,  Pós-Parto

Mancha Mongólica

Muitos são os pais que identificam esta mancha no bebé, mas também são muitos os que acham que é uma nódoa negra (hematoma) da palmada que se dá ao bebé quando nasce!

Em primeiro lugar, nem os médicos, nem os enfermeiros “espancam” os bebés quando nascem. Em segundo lugar não é uma nódoa negra!

É uma lesão da pele chamada de melanocitose dérmica congênita ou mácula de cor azul–acinzentada, com tonalidade variável e com margens irregulares, frequente em recém-nascidos e sim, muito semelhante a uma nódoa negra!

Não sei se é pior chamar-lhe Melanocitose ou Mancha Mongólica! Como se confunde com uma nódoa negra, os jovens pais, não se preocupam nos primeiros 15 dias a 3 semanas. Passado esse tempo, é comum ligarem para o Pediatra, preocupados, porque a nódoa negra não passa. Do outro lado do telefone o Pediatra diz, para os pais não se preocuparem, pois é uma mancha de nascença e que se chama mancha Mongólica. Pior!

Os pais associam ao Mongolismo (Sindrome de Down) e entram em pânico! Se tivessem feito as aulas de preparação para o nascimento comigo não passavam por este susto, pois falo sempre desta mancha e de mais uns “pequenos defeitos” que o bebé pode vir a ter. Risos!

A Localização mais habitual é na área lombo sagrada (costas ou nádegas), podendo também aparecer com menos frequência noutras zonas do corpo.

A cor das manchas deve-se por norma à localização dérmica de melanócitos, cheios de melanina que detiveram a sua migração da crista neural para a epiderme.

Apenas 10% dos recém-nascidos Caucasianos (raça branca) apresenta a mancha mongólica, mas aparece em cerca de 80% dos recém-nascidos de raça negra e mongólica. Daí resultar o nome! Não tem nenhum relacionamento com a doença de Down (Mongolismo). Um estudo feito numa maternidade portuguesa, revela que cerca de 22% dos recém-nascidos apresentam esta mancha.

Na crença popular de muitas culturas orientais, diz-se que a mancha aparecia porque a alma não queria encarnar nesse bebé e por isso espíritos superiores davam-lhe um pontapé ficando assim a marca.
Existem já alguns estudos científicos que dizem que a mancha está relacionada com antepassados de origem asiática ou índios americanos.

A Mancha Mongólica tende a desaparecer na primeira infância, podendo demorar mais algum tempo quando são mais que uma e não são nem nas nádegas, nem nas costas.

Fotografia: sisfotoedesign

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *