Blog,  Desporto,  Noticias

Hoje ganhou a sua última competição, uma medalha de Ouro chamada Salvador!

Desde que a noticia apareceu na comunicação Social, que pensei se também devia escrever sobre a Catarina. Uma história que mistura a dor da perda, com a alegria de um nascimento!

A Catarina merece esta homenagem! Hoje ganhou a sua última competição, uma medalha de OURO chamada Salvador

Catarina Sequeira cresceu em Vila Nova de Gaia. Nasceu há 26 anos, numa família numerosa, aos 11 anos iniciou o seu percurso na canoagem. Inicialmente no Clube Náutico de Crestuma (CNC) e depois no Douro Canoa Clube.

41 medalhas, 17 delas de ouro, em várias categorias, dos infantis aos seniores. Este foi o trajecto desta atleta, que merece ser recordada pelo esforço e dedicação que deu a esta modalidade!

Viu-se obrigada a deixar a canoagem, não pela asma que fazia parte da sua vida desde criança, mas sim por questões económicas.

Em Dezembro passou por uma competição que ninguém esperava, uma crise de Asma Aguda, que apesar de todos os esforços médicos, a levou à morte cerebral. A morte cerebral, também chamada de morte encefálica, ocorre quando não há nenhum tipo de atividade cerebral e é irreversível.

Ninguém iria conhecer a história da Catarina, se ela não estivesse grávida de 19 semanas. O bebé naquela altura ainda não era viável, era necessário decidir o que fazer, deixa-lo ir com a mãe? Ou manter a Catarina em Morte cerebral e transforma-la numa incubadora humana?

Cabe à Família e ao pai do bebé, a decisão, que passa pelo Conselho Nacional de Ética . Ao decidirem prolongar a gravidez, há um desafio acrescido para a equipa que acompanha a Catarina. É necessário reunir todas as condições para que todos os orgãos funcionem minimamente com o objectivo de manter o equilíbrio eletrolítico, a oxigenação adequada, e todas as condições necessárias para o desenvolvimento do bebé! O risco de uma infecção também é grande, por isso a soma de mais um dia, é uma vitória!

Chegar perto das 32 semanas, foi uma Vitória para a Catarina e para toda a equipa médica que a acompanhou.

O Salvador nasceu hoje, com cerca de 1700g, com 31s+6d, é considerado um prematuro moderado. Como os pulmões são dos últimos órgãos a terminarem o seu desenvolvimento, pode haver necessidade nestes casos de apoio ventilatório. Também, é muito comum, os reflexos de sucção e de deglutição ainda estarem ausentes. Quando assim é, a alimentação tem de ser feita através de uma sonda gástrica, até que aqueles reflexos se desenvolvam.

Este vai ser o caminho que o Salvador vai ter de percorrer nas próximas semanas.

Para toda a família vai o meu pesar pela partida da Catarina, mas nunca se esqueçam que hoje a Catarina ganhou a medalha mais preciosa e deixo-a convosco para a dor, ser superada pelas conquistas do Salvador

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *