Desporto,  Entrevistas

Eu podia ser jogadora de Futebol!!

Conheci a Sílvia, no Clube Futebol Benfica, quando a minha filha começou a jogar na equipa sénior. Quando a Joana me disse a idade da Silvia, o primeiro pensamento que me passou pela cabeça foi que eu, sendo assim ainda podia calçar umas “chuteiras” e jogar futebol!! Mas quem conhece os meus dois pés, sabe que isso seria um desastre!

Há uns tempos escrevi este artigo sobre a Sílvia para o #dameatuacamisola, que deixo aqui na íntegra, para conhecerem o trajecto da Sílvia Brunheira, que ao contrário de mim é um talento e de quem sou fã!

Sílvia Brunheira, actual Jogadora no Clube Futebol Benfica Feminino, completou em Setembro, 30 anos de Carreira como Jogadora de Futebol.
Federada desde 1988, conquistou 23 títulos no Futebol 11 e um no Futsal.

Aos 13 anos, Sílvia iniciou a prática de futebol feminino “à séria”ou seja devidamente associada, pois antes era “treinada” pelo pai, pelo irmão e os amigos de rua. Na escola também jogava e foi aí que foi convidada por umas amigas de turma a participar num torneio de futebol de salão no ADCRM Idanha, nos arredores de Queluz.
Desse torneio resultou uma equipa da junção das melhores jogadoras das 2 equipas finalistas do Torneio. Ao fim de cerca de 3 épocas a equipa transitou para o Clube Unidos do Cacém numa altura em que se mudava a denominação de futebol de salão para o actual Futsal. Nesse ano Sílvia foi convocada para a Selecção Distrital de Futsal de Lisboa (Ainda não existia a Selecção Nacional). Ficou até aos 19 anos no Futsal até ser convidada para treinos de captação na equipa de Futebol de 11 do Sporting Clube de Portugal.

Da captação à inscrição foi um salto e assim iniciou a prática desportiva no Futebol de 11, num contexto completamente diferente:

“um campo muito maior, com 22 jogadoras contrastando com as 10 que envolvia no Futsal e uma dimensão mais abrangente, tendo em conta o Clube que agora representava. Competia com clubes como o Boavista Futebol Clube e Clube Futebol de Trajouce que incluíam as principais jogadoras da Selecção Nacional de Futebol Feminino.”

A 1 de Agosto de 1995 o Sporting anuncia a extinção do Futebol feminino e em simultâneo surge uma equipa de Futebol Feminino no Sociedade União 1º Dezembro com jogadoras do extinto Sporting e do Trajouce, onde Sílvia permanece duas épocas.

Aos 22 anos volta ao Futsal para se sagrar Campeã Nacional de Futsal pelo Grupo Desportivo Recreativo “Os Lobinhos” em Vale de Lobos, Almargem do Bispo. Na época seguinte, a equipa transitou integralmente para outro Clube de Futsal – Grupo Sócio Cultural Novos Talentos – no Cacém, por ter assinado precocemente pelo clube de Futsal, mas por se recusar a jogar pela equipa Novos Talentos, nesse ano Sílvia, viu-se impedida de jogar novamente Futebol 11, e apenas treinou novamente no 1º de Dezembro.
Nessa altura Sílvia frequentou o curso de Educação Física e Desporto na Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias de Lisboa (ULHT) em simultâneo foi também Treinadora-Adjunta do Treinador principal Ernesto Catarino no 1º de Dezembro.

Na época de 1998/99 jogou pela 1ª vez no Clube Futebol Benfica, altura em que foi chamada pela 1ª vez a um estágio da Selecção Nacional de Futebol de 11 liderada pela Professora Graça Simões que assumiu o Cargo de Seleccionadora Nacional de futebol feminino em Março de 1997. Antes de assumir o cargo de Treinadora da Selecção de Futebol Feminino, a Professora Graça, já tinha trabalhado com a Sílvia, como treinadora adjunta de Ricardo Cravo, no Sporting.
Na época seguinte (1999/2000) foi Campeã Nacional pela 1ª vez no Futebol de 11 pelo Sociedade União 1º Dezembro, título que foi renovado 2 anos mais tarde em 2001/2002, abrindo caminho a um record de 11 títulos de Campeãs Nacionais consecutivos, com excepção da época 2004/2005 em que competiu no estrangeiro.

A 18 de Outubro de 2000, cumpre a 1ª Internacionalização estreando-me na 2ª parte pela Selecção Nacional, equipa já liderada pelo Professor Nuno Cristóvão, actual Treinador do Sporting Clube de Portugal, num jogo realizado em Itália, em que perderam por 3-0.

A Taça de Portugal realizou-se pela primeira vez na época de 2003/2004, quem arrecadou a taça foi a Sociedade União 1º Dezembro, clube que a Sílvia representava na altura e com o qual ganhou mais 6 Taças. Mas não ficou por aqui, além das 7 taças de Portugal, Silvia anos mais tarde vence mais duas vezes pelo Clube Futebol Benfica, fazendo um total de 9 taças até à data.

Tal como já tínha referido anteriormente na época de 2004/2005, Sílvia é convidada pela primeira vez para ingressar num clube estrangeiro. Aceitou o desafio e juntou-se à equipa Espanhola Club de Fútbol Femenino Estudiantes de Huelva. Segundo Sílvia:

“experiência única pelas diferenças culturais e desportivas com que me deparei. Foi uma experiência essencialmente benéfica pelo desenvolvimento físico e táctico que absorvi, tive que melhorar obrigatoriamente a capacidade de reacção no passe e às perdas de bola. Senti que no Campeonato Espanhol tudo era mais rápido e mais explosivo. Esta evolução foi preponderante para atingir um bom nível na Selecção Nacional, tendo contribuído para a minha estabilidade como jogadora titular.”

Em 2009, tem a primeira lesão grave, num ombro, que a deixou fora dos relvados durante 9 meses, o que comprometeu sem dúvida, o seu percurso na equipa da Selecção Nacional. O seu último estágio terá ocorrido em Janeiro de 2010 com um total de 61 Internacionalizações, e segundo Sílvia Brunheira:

 “com inúmeras memórias e um grande orgulho pelo dever cumprido.”

Em Abril de 2013 teve outra lesão grave, desta vez no joelho esquerdo que a remeteu para longe da competição durante cerca de 6 meses, contudo, e já inscrita no Clube Futebol Benfica começou novamente a jogar em Novembro do mesmo ano. Na época seguinte, em 2014/2015, sagrou-se novamente Campeã Nacional pelo novo clube, vencendo também a Taça de Portugal. Feito que repetiu novamente na época seguinte de 2015/2016. Época em cheio, pois para além de se sagrar Campeã nacional, ganhar a Taça de Portugal, também arrecadou a estreante Super Taça.

Sílvia Brunheira confessa ao #dámeatuacamisola:

Sinto um grande orgulho pelo percurso que vivi e vivo, não só pelos 23 Títulos conquistados no Futebol de 11 (13 Campeonatos Nacionais; 9 Taças de Portugal e 1 Supertaça) e 1 no Futsal, mas também pelas pessoas que conheci, pelos quilómetros que percorri em tantos campos e tantos países e pelas alegrias conquistadas.”

Actualmente continua a jogar no Clube Futebol Benfica sem saber ao certo quando irá parar… É sem dúvida uma referência no Futebol Feminino e para as jogadoras mais novas, que na maioria das vezes não acreditam na sua idade! Quando calça as chuteiras, deixa no Balneário 20 anos e entre em campo com a garra e a performance de uma jovem, mas com a sabedoria de quem completa 30 anos de carreira.
Sílvia termina a entrevista ao #dámeatuacamisola, dizendo que:
“Com novos objectivos e em função das características desta renovada equipa, sigo o foco de ganhar o maior número de jogos possível, de melhorar a minha performance dia a dia e de transmitir às jogadoras mais novas o motivo pelo qual ainda cá ando. E enquanto sentir esta paixão pelo Futebol e enquanto o meu corpo e a minha mente me permitirem, contínuo, porque “parar é morrer”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *