Blog,  Crianças,  Familia

Dois irmãos e apenas um quarto!

“Porque o moramos num T2…” Esta é a justificação que habitualmente me dão, para os dois irmãos terem de dormir no mesmo Quarto, mesmo quando são “cão e gato”!

E qual é o mal? Nenhum!

Quantas vezes não teve de interferir nas zangas dos seus filhos ou de os separar de um confronto físico? No entanto, ambos têm de partilhar o mesmo quarto, onde as gargalhadas e as lutas de almofadas também se ouvem; Mas a par disso surgem as queixinhas, porque o mais novo enfiou-se na cama do irmão e não quer sair, porque o mais velho mexeu nos brinquedos do mais novo, e porque (como eu costumo dizer queixas por tudo e por nada!

Mas se um deles fica a dormir ou na casa dos avós ou na casa de um amigo, O outro fica triste e já nem sabe o que fazer!

Apesar da educação ser a mesma, a verdade é que não há irmãos iguais. Basta que um seja perfeccionista e o outro mais distraído. Logo o desentendimento é mais provável, sobretudo quando colocamos, no mesmo cenário, um menino e uma menina. Afinal, é preciso respeitar o espaço comum, bem como a privacidade de cada um, o que nem sempre é fácil. Noutros momentos, o entendimento entre os seus filhos é bem visível, o que reforça a cumplicidade ente ambos abrindo, deste modo, a porta para a socialização, o respeito e a partilha.
Se são irmãos do mesmo sexo, obviamente que vestir o pijama no mesmo espaço e em simultâneo não levanta qualquer problema. Este emerge, não obrigatóriamente, se são menino e menina. Por conseguinte, é importante estabelecer essa privacidade. Perante este caso, por que não fazê-lo na casa de banho e em períodos distintos, por exemplo?

Regras para cumprir

Uma vez que as discussões entre os seus filhos são inevitáveis, é indispensável estabelecer regras, as quais podem, porém, ser negociadas entre todos. Comece por indicar a cada um qual parede onde podem colar os cartazes dos seus ídolos ou dividir as portas do roupeiro do quarto para o efeito. Mas há mais medidas para evitar desentendimentos e cada um dos seus filhos saber o que lhes pertence:

  • Indique quais as gavetas e as partes do roupeiro para cada um;
  • Ofereça caixas com cores diferentes para os brinquedos de cada um;
  • Efectue um plano onde estão definidas as tarefas inerentes à arrumação e limpeza do quarto;
  • Reforce as normas ditadas em conjunto, pois um só pode mexer o que é do outro com a autorização deste;
  • Faça uma escala com eles, onde estejam definidos os dias das visitas dos respectivos amigos e cujas alterações devem ser informadas com antecedência.

A escolha dos elementos decorativos.

Por outro lado, é igualmente importante que ambos escolham os elementos decorativos do quarto, cuja divisão deve ser definida em conjunto com os pais. Tome nota das sugestões:

  • Deixe-os escolher os edredãos ou colchas das respectivas camas, assim como as caixas onde vão guardar os brinquedos e os acessórios de cada um e a decoração de cada mesa de cabeceira;
  • Adquira uma estante alta e estreita caso tenha optado por beliches, a qual pode ficar como mesa de cabeceira, onde podem colocar os seus objectos pessoais, mas previamente dividida;
  • Prefira uma mesa grande para estudarem com a devida divisão, onde o material de apoio escolar deve estar sempre arrumado;
  • Disponha de duas almofadas grandes ou pufs no quarto onde cada um dos seus filhos possa dedicar-se à leitura.

Quanto à escolha dos cortinados e dos candeeiros de mesa de cabeceira, devem ser seleccionados pelos pais ou em conjunto, para que a decoração faça algum sentido. Além disso, há óptimas soluções com beliches para quartos, em que as estantes e as secretárias estão incorporadas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *